8 de jun de 2011

Casual

Mordidas na orelha, roçar de barba no pescoço.
Com forte temor, cedo ao tremor em minhas pernas.
Com um beijo, permito ser usada.
Olho fixamente em teus olhos, enquanto o êxtase percorre o meu corpo.
Boca quente e mãos hábeis.
Ignoro o teu carinho, me entrego ao prazer.
Não desejo carícias, necessito de uma foda!
Gemo imaginando tapas mas recebo gestos suaves e planejados.
Sinto a vontade que ele tem de me consumir, me devorar, percebo que atrás de todo aquele homem até então tênue e carinhoso há um ser incontrolável que deseja me fuder escrúpulos e pudores. Vontade de ser tratada como uma vadia, mas ao contrário, ele me faz mulher.
Guio tua cabeça a meu sexo, minhas pernas se contorcem tamanho prazer.
Recebo um tapa e fico toda arrepiada. Sou jogada de encontro a parede e com suas mãos agarrando meus cabelos, sou possuída por um ser que se entregou a seus instintos.
Meia hora depois, desfalecida na cama lhe dou um beijo em retribuição ao momento de prazer.
Sutilmente entrego suas roupas e silenciosamente ele se retira do meu quarto.

0 comentários:

Postar um comentário